Por onde começar? – 2ª parte

Pois é, têm razão!! Mereço no mínimo umas mil chibatadas pela demora em retomar o texto sobre como tudo aconteceu… Mas a pequenina exige mesmo muita atenção e cuidado.
Ora, dizia eu que mal sabia o que aí vinha em termos de dores. Pois não sabia mesmo! Já lá vamos não tarda…
Antes, explicar-vos que às 11 da manhã do dia 20 prometi à minha filha umas sandálias cor-de-rosa de uma página top do Facebook, caso ela saltasse cá para fora até às 17h00. Escusado será dizer que ficou sem as sandálias! E eram bem giras, por sinal 🙂

image

Depois de ter umas 10 pessoas diferentes a fazer-me o “toque” (sim, isto faz parte!!), a coisa só se deu pelas 18h00, altura em que já tinha a dilatação completa. Foi aí que segui para a sala de partos/sala de expulsão. Apesar da enfermeira Alexandra me ter avisado que podia levar umas 3 horas naquilo, achei que seria mega rápido. Pois não foi 🙂
Pus-me confortável (dentro do género de estar de perna aberta a fazer força a cada contracção), o Martim pediu para substituir a música zen pela pen que tinha preparado com alguns “êxitos” que passaram no nosso casamento, ao lado ouviam-se outros bebés a nascer… Parecia tudo perfeito! Até ao momento em que comecei a deixar de ter forças… para fazer tanta força. Achei que ficava ali, juro. Comecei a sentir-me mal, muito mal. Apesar de todos os esforços, a ML quase não saía do sítio. Isto depois de 3 horas a fazer uso de todas as forças que tinha no corpo. Senti dores que nunca pensei ser possível sentir! E não, não estou a ser mariquinhas-pé-de-salsa! Quem diz é quem é, lava a cara com chulé! 🙂
O Martim bem tentava ajudar, dizendo “faz força amor, tu consegues!”, “força, amor, a nossa bebé está quase a nascer”, “agarra a minha mão”… e por aí fora! E aqui entre nós que ninguém nos ouve, aquilo já me estava a enervar de tal forma que virei bicho e pedi que ele parasse de falar e que desligassem “a porcaria da música” 🙂 Hoje quando penso nisto dá-me vontade de rir, porque não era eu que ali estava ahahahaha
A enfermeira Alexandra – que acompanhou aquelas looongas 3 horas na sala de expulsão – já via o cabelo da bebé, mas nada feito. Estava presa na minha bacia, disseram-me depois. O trabalho de parto tinha parado. Ao fim de 20 horas. Nem queríamos acreditar.
“Vamos para fórceps”, ouvi eu.
Foi aí que chegou a equipa médica para fazer uma nova avaliação com ecografia. 
“Fórceps nem pensar. Vamos avançar para cesariana. Não queremos mais sofrimento para esta mãe e muito menos para a bebé. Já chega!”, explicou o Dr. Nuno. “Vamos a isso mãe?”.
Vamos embora.
A bebé tinha rodado ligeiramente a cabecinha e havia já risco num parto com fórceps. Foi com um misto de alívio e tristeza que subi para o bloco. Alívio porque já estava há muitas horas “naquilo”, tristeza porque o Martim não podia assistir ao parto, sendo cesariana, e porque desde o início achei que seria possível um parto natural. Mas a vida é mesmo assim. Nem sempre as coisas acontecem como queremos.
Despedimo-nos com um beijinho e uma troca cúmplice de olhares. Eu subi para o bloco a sorrir com as brincadeiras das enfermeiras, ele desceu para a rua a chorar. Fez uma pausa nas escadas, contou-me depois, para não chegar ao pé da família naquele estado, não fossem eles pensar que eu me tinha finado 🙂 Os meus pais e a minha irmã estavam lá desde manhã, se não estou em erro desde as 8! SIM, 8 da manhã! Foram só a casa almoçar e preparar comidinha para o genro e voltaram. Ora, “é só fazer as contas”, como dizia o outro. Estavam lá há demasiadas horas, acho que cada um deles em trabalho de parto também! Escusado será dizer que quando o Martim se preparava para descer, já o meu pai estava à porta para saber o que se passava com a filha mais nova… coisas de pai, que só agora começo a entender.
Quanto à cesariana, correu tudo lindamente. Com direito a música no bloco de partos, muito apoio da equipa médica e de enfermagem e… aquele nervoso miudinho de “vou mesmo ter a minha bebé agora?”. Uaaaaau 🙂 Tremia por todos os lados e ainda me lembro de perguntar à anestesista como é que ia pegar na minha bebé assim 😉 
Bom, descrever-vos a sensação da minha bebé a sair dentro de mim… não dá! Completamente impossível. Apenas consigo dizer-vos que chorei, chorei muito… é uma emoção muito grande mesmo. E que foi estranhíssimo de repente ficar com um vazio…sentir a pequenina a ser retirada da minha barriguinha e a chorar… aiiiiii!! 🙂 Senti TUDO, a única diferença na cesariana é que não há cá dores, claro! 
Pele com pele imediato, pude beijá-la, cheirá-la, senti-la… É MINHA, oh c’um caraças!!! 🙂 Agora é mesmo a sério! Descemos as duas para o recobro, ela sempre junto a mim, maminha na primeira hora de vida (IMPORTANTÍSSIMO, se puderem mamãs!!)… Quando dei conta, já estávamos os 3 juntos! O Martim a chorar, claro 🙂 ahahahaah Muito me chora este homem!! Mas desta vez chorámos os 2. Que sensação maravilhosa! 
No momento de ir para o internamento, uma das enfermeiras disse que tinha uma claque à minha espera nas escadas… a uma hora a que já não era suposto estar ninguém de fora no hospital. Mas como o amor move montanhas, e como ser pai é mesmo isto, lá estavam eles… Maria de Fátima e José Maltez, acompanhados de sua filha mais velha! Ainda levei uma beijoca antes de ir “dormir” (dormir loool!!!!), pumba!! E quando finalmente nos despedimos uns dos outros, pude perceber que ficaram a sorrir mas com a lágrima no canto do olho. FAMÍLIA é mesmo isto!
E mesmo depois de ter passado por um looooongo trabalho de parto, de ter sido preparada para um parto natural e de ter acabado tudo numa cesariana, é mesmo verdade aquela coisa que se diz que esquecemos as dores quando olhamos para aquela perfeição! 

Vá, pelo menos esquecemos momentaneamente, porque os dias que se seguiram… aiiii os dias que se seguiram! Já vos conto! 🙂

{Continua}

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s