S. Miguel, não nos sais da cabeça!

A viagem a S. Miguel foi em Abril, mas ainda não conseguimos tirar a ilha da cabeça… ou a cabeça da ilha, como quiserem.
Decidir o destino foi simples. Já queríamos ir a uma das ilhas há muito e começámos, então, por aquela de que todos falam.

 

O voo correu muito bem. A Leonor passou boa parte do tempo a desenhar e a meter conversa com os passageiros da frente e também com os que seguiam atrás de nós. Por muito que lhe explicássemos que as pessoas queriam sossego, as mesmas acabavam gentilmente por dizer “não faz mal, deixe estar” e ela lá continuava na sua busca incessante por sorrisos e palhaçadas, olhando para nós como quem diz “estão a ver? os senhores gostam!”.
Aterrámos em Ponta Delgada pela hora de almoço. O Martim foi buscar as malas, eu fiquei sentada num dos bancos a dar a sopa a Leonor e juntos fomos, depois, buscar o carro que já estava alugado (deixámos tudo tratado antes!).
De barriguinha mais composta, a Nonô dormiu até ao hotel, que era precisamente no centro da cidade. Ficámos nos fantásticos Armazéns Cogumbreiro – mas já lá vamos!

Foi chegar, deixar as malas no apartamento e descer para almoçar! Assim que sentiu o cheirinho da comidinha boa, quem é que acorda? A pequenina, pois claro! Acorda e acorda com apetite que os ares de S. Miguel deixam qualquer alminha com fome!

Estômagos recompostos. É hora de ir fazer uma das coisas que mais gostamos quando estamos em viagem: passear e conhecer, sentir as gentes e os costumes.
A ilha tem, da Ferraria ao Nordeste, cerca de 84 km e, graças às boas estradas, é possível conhecer vários locais num só dia. Alguns deles, ao ritmo destas “meninas” vestidas de preto e branco aqui na foto.

Agora Nós os Três Açores 60

S. Miguel é um encanto! De uma ponta à outra. É caso para dizer “tem sempre ponta por onde se lhe pegue”. Há lugares mágicos e tentámos registar a maioria em fotografias, mas algum nos escapou certamente!
S. Miguel é mais do que palavras.
S. Miguel merece mais do que um texto.
S. Miguel é Amor, é Família, é Vida, é Mar, é Verde, é Silêncio.

Agora Nós os Três Açores 29Agora Nós os Três Açores 27Agora Nós os Três Açores 26Agora Nós os Três Açores 25Agora Nós os Três Açores 17IMG_9003Agora Nós os Três Açores 35Agora Nós os Três Açores 36
É isto tudo e tanto mais.
Mas façamos uma pausa em toda esta beleza para que conheçam então o sítio maravilhoso onde ficámos alojados. Foi um primo que tratou de tudo. Recomendou e reservou. Nós só tivemos que largar a nota (que não foi assim tão grande, calma!).
Os Armazéns Cogumbreiro ficam no centro histórico de Ponta Delgada. O edifício sofreu uma profunda intervenção e renasceu como alojamento local (com 9 apartamentos T0 com nomes de cada uma das ilhas – nós ficámos no “Pico“), cafetaria e geladaria.
Todos fizeram tudo para que a nossa estadia corresse lindamente, sempre preocupados com a Leonor.
O apartamento era enorme, tinha janelas com vistas fantásticas para a cidade, TV, wi-fi, berço, cadeira da papa (se precisarem e pedirem, claro!), uma bancada de cozinha, frigorífico, chaleira, mesa com cadeiras (se quiserem comer sempre em casa)… enfim… tudo preparadíssimo para famílias.
E não, não nos pagaram para falar deles! É de coração mesmo!
IMG_5036

Andámos muito de carro. A pé, só mesmo no centro e ao longo de toda a marginal de Ponta Delgada. Alugámos o carro no aeroporto, já com cadeira auto. E aqui queria roubar uns minutos da vossa atenção para explicar o seguinte: não levámos a cadeira auto da Leonor, porque:
1) eram poucos dias;
2) confiámos que a cadeira de aluguer seria boa e confortável;
3) não queríamos complicar.
Ora, a cadeira confortável devia ser – apesar de não parecer – porque a Leonor adormecia com regularidade. Em termos de segurança, deixou muito a desejar. E deixámos isso mesmo registado junto da empresa. A começar pelo rapaz do aeroporto que confessou nunca ter ouvido falar em Rear Facing. Disse que sempre colocou as cadeiras viradas para a frente. Não perdemos grande tempo com explicações. Ele achou curioso e nós fomos à nossa vida.
Era importante que todas as empresas de aluguer de carros tivessem isto em consideração e apostassem em cadeiras auto boas e seguras para as crianças.
E com tantos km de carro, claro que há uma história que não podia ficar por contar: um furo!
O que foi isto?“, pergunto eu.
Já fomos.“, diz ele.
Papáaaaaa“, acrescenta a Nonô que ia a dormir lindamente e que acorda sempre que antevê um cenário de “festa” ou, neste caso, de possível saída para a rua para “bincá” (brincar).
Uns contactos para a assistência e tudo se resolveu da melhor forma, felizmente.

Agora Nós os Três Açores 57Agora Nós os Três Açores 56

E agora vamos falar de algo que interessa a toda a gente quando viaja: restaurantes, claro.
Um dos nossos preferidos foi o da Associação Agrícola. Comida excelente, baby friendly e muito acolhedor. O Martim escolheu o Bife à Associação e eu… meio bife (EXISTE!!!) do qual comi METADE. Por isso, avaliem bem a dimensão do vosso estômago antes de pedirem! 🙂 As doses são muuuuuuito bem servidas!

Agora Nós os Três Açores 54
Outro que também adorámos, mas muito mais pequeno, foi a Taberna Açor. Excelente opção para jantar em Ponta Delgada – e a Leonor até já chamava os empregados pelo nome!
Não posso fechar este capítulo dedicado à boa comidinha sem vos falar n’ O Américo. Fica nos Mosteiros e, apesar do tempo que estivemos à espera de mesa, valeu a pena também! Todos mega atenciosos! Pedimos polvo assado com batatas e, claro, lapas! Para além da Kima – obrigatório!
Agora Nós os Três Açores 30
Agora Nós os Três 62
Se vos continuar a falar de comida e bebida desta ilha, nunca mais daqui saímos!
E ainda vos quero mostrar os sítios onde andámos a chapinhar com a pequenina: as Termas da Ferraria e o Parque Terra Nostra – de sonho! Ora vejam…
IMG_7021.jpg
Agora Nós os Três Açores 42
Claro que depois de tantos banhos, não podíamos deixar de nos aventurar para chegar à famosa Lagoa do Congro. Nem vale a pena falarmos aqui da distância absurda que percorremos a pé com a miúda ora ao colo, ora pela mão. Porque no fim, meus amigos, compensa muito! Mas se tiverem crianças pequenas, levem um sling ou outra qualquer forma de babywearing! Isso e força nas canetas!


Já estamos a pensar na próxima ilha e aceitamos sugestões, claro!
De S. Miguel trouxemos óptimas recordações e o coração a transbordar.

Agora Nós os Três Açores 52Agora Nós os Três Açores 49Agora Nós os Três Açores 48
Agora Nós os Três Açores 34
Agora Nós os Três Açores 46Agora Nós os Três Açores 43Agora Nós os Três Açores 38
Agora Nós os Três Açores 39Agora Nós os Três Açores 58Agora Nós os Três Açores 59

Até um dia, Ilha Verde!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s