Longa vida aos pais imperfeitos

Vivemos num tempo desgastante, avassalador e extremamente exigente;
Um tempo em que a palavra perfeição parece andar de mãos dadas com metade do mundo, e a circular na boca da outra metade. Foi a pensar nisto que resolvi escrever este texto, uma espécie de manifesto em honra dos pais imperfeitos a quem só posso desejar longa e eterna vida.

Qual é a ideia? A ideia é muito simples: acabar com o mito dos pais perfeitos. Porquê? Então vejamos: em primeiro lugar quero deixar aqui uma declaração que pode levantar alguma celeuma mas que ainda assim tem de ser feita – esses seres humanos pura e simplesmente não existem! Ok? Em segundo lugar dizer que este tipo de pais NÃO EXISTEM EM PARTE ALGUMA DESTA VIDA!
Ficou mais claro assim? Espero que sim. =)

Embora os ideais de perfeição venham sendo perpetuados por muito boa gente, sobretudo desde que existe o Instagram (já que falamos nele podem aproveitar para nos seguir também por lá – aqui mesmo – que nós agradecemos e ficamos muito contentes), a vida não é estática nem cor de rosa às bolinhas e recheada de purpurinas como tanta gente parece apostada em defender.

Vivemos um tempo em que parece que há receitas infalíveis para tudo.
Pior do que isso, este é um tempo em que as críticas são disparadas a uma velocidade estonteante e com uma fúria que parece capaz de atingir todos e quaisquer uns de nós, sobretudo aqueles que tentam fazer o que melhor podem e sabem no exercício mais difícil das nossas vidas: educar os nossos filhos.

AgoraNósOsTrÊs_OceanáriodeLisboa

Contudo resolvi seguir o caminho oposto e enaltecer a perfeita imperfeição da grande maioria de nós que aqui andamos a lutar, diariamente, para fazer dos nossos filhos crianças + felizes; crianças + bem preparadas para a vida; crianças + sorridentes; crianças com uma característica imprescindível nos tempos que correm e que tanta falta faz a tanta gente: noção!

Por isso, para não me alongar muito, vou enumerar aqui algumas das coisas que fazem dos pais imperfeitos os pais + incríveis do planeta.

Olivais
Árvore das Chuchas

Os pais que eu adoro são mais ou menos assim:

  • esquecem-se de coisas em casa;
  • ralham;
  • exageram;
  • são cocós;
  • deixam acabar o leite, a fruta, a massa, o arroz…;
  • adormecem;
  • saem de casa sem os pentear ou por perfume;
  • esquecem-se de pagar as contas a tempo;
  • dizem (raramente, mas dizem) asneiras;
  • fazem programas inesperados;
  • levam-nos para conhecer o mundo;
  • contornam imprevistos com sorrisos;
  • chegam a casa felizes por ali chegar;
  • amam os amigos, mas esquecem-se dos seus aniversários;
  • almoçam e jantam fora quando conseguem e lhes apetece… sempre com os filhos atrás;
  • não têm medo de dar colo sempre que os filhos pedem;
  • não se deitam sem ir ver se eles estão a dormir direito;
  • chateiam-se depois de 4 xixis no chão e 3 cocós no fato de banho;
  • dão-lhes, ocasionalmente, coisas que “fazem mal”, meaning: batatas fritas, sumos, gelados, bolos… vocês sabem;
  • rebolam com eles pelo chão;
  • Deixam-nos acreditar que são eles que mandam lá em casa, nem que seja só por um bocadinho;
  • cantam com eles na rua, no carro, na praia, no supermercado, em todo o lado;
  • deixam acabar a papa e só se dão conta disso no momento em que eles a pedem, de preferência mesmo antes de tomar o pequeno-almoço (mas rapidamente dão a volta e trocam a ementa);
  • aceitam contar a mesma história todas as noites, porque eles querem, e porque acreditam que lhes faz bem;
  • dão abraços e beijinhos a qualquer hora do dia;
  • os deixam ficar com os avós para poderem ir às compras;
  • os levam às compras;
  • os deixam sair do carrinho e ir para o colo ou andar a pé, mesmo quando isso significa que vão demorar o dobro do tempo a chegar onde queriam ir;
  • pedem ajuda aos amigos, aos avós, ou aos bloggers que seguem quando não estão a conseguir lidar com alguma fase mais difícil.

Podia continuar a enumerar pontos e pontinhos, mas tenho a certeza que já perceberam onde é que quero chegar.

Se também vocês se revêm neste texto e se enquadram neste tipo de parentalidade imperfeita, deixem-nos os vossos testemunhos que atestam que este é o melhor tipo de pais que existe no planeta!

Os pais imperfeitos são tudo isto e muito mais, mas são espectaculares, não são?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s